Primeiro trecho da maratona exige dos pilotos na quinta etapa do Sertões

Mesmo com dia bastante pesado, duas das duplas apoiadas pela Can-Am seguem liderando o ranking acumulado                                                                                 

 

Hoje começou a maratona. E o pilotos precisaram colocar energia extra. Extra porque o que não falta em cada uma das etapas é energia de sobra, “a toda prova”, para fazer um trocadilho. Como sempre acontece no Sertões, as etapas de maratona desafiam o conhecimento de pilotagem, de navegação e de mecânica dos competidores. Não é permitido o apoio externo da equipe, portanto precisam se virar caso tenham qualquer problema com os UTVs.

Como já era de se esperar, a quinta etapa do Rally dos Sertões 2021, que partiu de São Raimundo Nonato (PI) para Xique-Xique (BA), num total de 442 Km, dos quais 329 Km cronometrados, deu uma nova configuração ao ranking. O motivo? Os mais de 220 quilômetros de areia pesada.

A dupla Otávio Leite e Wladimir Grunenberg, com o tempo de 4h40min48s, foi a primeira a chegar na cidade destino, que leva esse nome por causa da vegetação da região, dominada por um cacto de nome científico Pilosocereus polygonus, mas conhecido no Brasil como xiquexique.

Rodrigo Varela e seu navegador Filipe Palmeiro, que vêm sustentando posições importantes até aqui, mesmo num dia para poucos – hoje houve a maior baixa, 15 UTVs desde o início da competição –, conquistaram o quinto lugar e se garantem na primeira posição no acumulado. “Esta edição está exigindo muita concentração, pois a planilha é bastante técnica e também há muitos obstáculos que têm danificado os carros de quem comete algum vacilo”, comentou o piloto e explicou: “Hoje novamente administramos o nosso ritmo para evitar problemas como quebras ou algum acidente, que têm sido relativamente constantes. Mesmo assim, os riscos estão sempre presentes e sabemos que cada dia é uma nova aventura. No Sertões você precisa combinar prudência e velocidade. Mas também é preciso ter sorte. Não existe campeão do Sertões sem uma boa dose dela”.

Apenas 21 segundos depois dos líderes da etapa, a dupla Deninho Casarini e Ivo Mayer cumpriram a prova a abraçaram a terceira colocação. A posição do dia garante o segundo lugar na classificação geral. Mas, mais do que isso, mantêm duas das duplas apoiadas pela Can-Am nas primeira duas posições.

Para Deni Nascimento esta foi uma das etapas mais duras e complicadas: “Ao mesmo tempo que precisamos acelerar, temos que cuidar do veículo para que não quebre e esteja em perfeitas condições para largar no outro dia porque não há assistência dos mecânicos”. No último trecho, o piloto e seu parceiro Idali Bosse, tiveram um pneu furado e decidiram segurar para levar o Maverick X3 até a linha de chegada na quarta posição.

E a caravana segue…

Na quinta-feira, 19 de agosto, a caravana segue para Petrolina (PE), na segunda perna da maratona. O caminho até lá tem tudo para quem aprecia uma boa prova off-road. Promete ser uma especial rápida, com pistas de média e alta velocidades, um pouco travada no meio, com trechos sinuosos, pedras, erosões, piso em cascalho e piçarras, finalizando com longas retas de alta velocidade em areia.

 

Resultados extraoficiais – etapa 4 (Geral)

1 – Otávio Leite/Wladimir Grunenberg, 4h40min48s

2 – Alexandre Miguel/Fausto Mota, a 00min19s0

3 – Denísio Casarini/Ivo Mayer, a 00min21s0

4 – Deni Nascimento/Idali Bosse, a 01min00s0

5 – Rodrigo Varela/Filipe Palmeiro, a 01min34s0

6 – Reinaldo Varela/Gunnar Dums, a 02min40s0

7 – P Dowell/C Spolidorio, a 04min54s0

8 – E Bozzano/W Rezende, a 05min35s0

9 – B Benchimol/D Spolidorio, a 06min17s0

10 – André Hort/Matheus Mazzei, a 06min32s0

 

Resultados extraoficiais – etapa 4 (Acumulado)

  1. Rodrigo Varela/Filipe Palmeiro – Can-Am – 20:14:11
  2. Denísio Casarini/Ivo Mayer – Can-Am – +01:10min
  3. André Hort/Matheus Mazzei – Can-Am – + 11:45min
  4. Rodrigo Luppi/Maykel Justo – Can-Am – + 15:49min
  5. João Monteiro/Victor Hugo Melo – Can-Am – + 17:20min
  6. Otávio Leite/Wladimir Grunenberg – Can-Am – + 19:20min
  7. Gabriel Cestari/Jhonatan Ardigo – Can-Am – + 19:40min
  8. Aristides Mafra/Breno Rezende – Can-Am – + 23:19min
  9. Wilker Campos/Lauro Sobreira – Can-Am – + 29:59min
  10. Edu Piano/Solon Mendes – Can-Am – + 31:59min
Rodrigo Varela/Filipe Palmeiro
Deni Casarini e Ivo Mayer enfrentam a maratona
Deni Nascimento/Idali Bosse

Sobre a BRP

Somos um líder global no mundo de veículos de esportes motorizados, sistemas de propulsão e embarcações construídos em mais de 75 anos de engenhosidade e foco intenso no consumidor. Nosso portfólio de líderes da indústria e produtos distintos incluem motos de neve Ski-Doo e Lynx, motos aquáticas Sea-Doo, veículos Can-Am on e off-road, embarcações Alumacraft, Manitou, Quintrex e sistemas de propulsão marítima Rotax bem como motores Rotax para karts e aeronaves recreativas. Completamos nossas linhas de produtos com um negócio dedicado de peças, acessórios e vestuário para aprimorar totalmente a experiência de pilotagem.

Com vendas anuais de CA $ 6,0 bilhões em mais de 130 países, nossa força de trabalho global é composta por mais de 14.500 pessoas motivadas e habilidosas.

 

Carbono.AG Agência de Comunicação

Assessoria de Imprensa BRP Brasil

Christian Marxen e Erica Munhoz

Telefone: (11) 5542-4599
E-mail: atendimento2@carbono.ag